terça-feira, 18 de outubro de 2011

Sem pés nem cabeça


O que me trás aqui? Um username, uma password e um click.

Hoje vou entrar em modo de indignação retrograda. E criticar essa coisa de falar com um tal de nível.
Há dias, estava eu na fila do Pingo Doce para pagar um pack de rolos de papel higiénico de uma determinada marca, quando o operador de caixa me interpela:
- Olhe que os rolos da nossa marca são mais baratos.
Ao que eu respondi:
- Sim, mas não é tão suave quando limpo o cu com ele.
Logo vários olhares superiores de quem estava na fila me olharam indignados e o próprio operador da caixa me corrigiu:
- "Quando limpo o rabo", queria o senhor dizer. Olhe a educação!

Achei aquilo intrigante. Cheguei a casa e pesquisei no dicionário:
Cu: Ânus; assento; traseiro.
Rabo: Termo genérico com que se indica o apêndice caudal de todos os animais.

Concluí portanto que ser bem educado, é designar uma parte anatómica do nosso corpo pela mesma designação de um apêndice que existe em animais como bois, burros, cães, ratazanas, ovelhas, etc...

Confesso que não sei se dizer rabo em vez de cu é uma questão de educação, ou de falta de conhecimento. Mas o melhor é mesmo ir pela maioria.

Assim sendo, no resto deste post irei seguir à risca esta regra e ser o mais educado possível para subir o nível.

Não me vou alongar muito, porque sinto o bucho vazio e ainda quero ruminar qualquer coisa antes de ir com uma amiga que está prenha ao centro comercial, para ela tosquiar o pelo da cabeça e tratar dos cascos.

Para finalizar, no mesmo dia em que ocorreu este incidente, alguém depois deve ter comentado com a operadora da Caixa 3. Digo isto, porque quando cheguei a casa, ela estava deitada no sofá quase numa, olhou-me fixamente nos olhos e disse:
- Anda cá meu animal!

3 comentários: